OrigemNews

ÁreaRestrita



Auditorias


NewsLetter

Cratera interdita trecho da BR-116

02/02/2011

As últimas chuvas caídas na região do Vale do Salgado provocaram erosão na viga de sustentação de uma ponte sobre a via férrea, no Km 412 da BR-116, próximo ao trevo que dá acesso à cidade de Ipaumirim. O asfalto cedeu, ontem, pela manhã, abrindo uma cratera. A rodovia foi interditada em meia-pista. Havia ameaça de a estrutura ceder.

Na última terça-feira, dia 1º, os operários começaram o serviço de construção de um muro de contenção sob o asfalto.

Quem trafega na BR-116, uma das principais rodovias de acesso à Fortaleza, deve ter cuidado redobrado, na altura do KM 412. A força da água provocou uma erosão na estrutura de sustentação da ponte sob a ferrovia, que dá acesso à cidade de Cajazeiras na Paraíba. Ontem, pela manhã, parte do aterro foi arrastado e o asfalto cedeu junto à estrutura.

Por volta das 10 horas da manhã da última segunda-feira, dia 31, abriu-se um buraco na via direita no sentido sertão-praia. O tráfego ficou em meia-pista. No início da noite, uma equipe de 12 operários da empresa Delta Construções concluiu o serviço de fechamento da cratera. Hoje, o trabalho continua. "Vamos fazer um muro de contenção ao lado da viga, sob a pista", disse o encarregado da obra, Flávio Carneiro dos Santos.

Ainda no mesmo dia, o trânsito ficou lento no trecho interditado e os veículos formaram uma fila de cerca de 50 metros. O tráfego foi feito no sistema de rodízio de siga e pare. Foram colocadas dezenas de placas de sinalização e advertência.

O serviço de construção do muro de contenção deverá ficar pronto em três dias. Os veículos devem trafegar em baixa velocidade até que o trabalho seja concluído para evitar que o asfalto volte a ceder.
De acordo com o técnico, não houve comprometimento da estrutura de concreto. Nos últimos dias choveu bastante na região e o volume de chuva acumulado nesse mês de janeiro foi de 250mm, bem acima da média histórica.

A água provocou erosão do aterro entre a rodovia e a ponte. Resultado: o asfalto rachou e cedeu, causando o problema.

O representante comercial, Cláudio Oliveira, que viajava em direção à cidade de Lavras da Mangabeira, disse que temia que a rodovia estivesse totalmente interditada. "Soube de comentários que parte da ponte havia caído, mas felizmente o problema é menos grave e o tempo de espera é reduzido", observou o motorista.

O trecho de 98 quilômetros da BR-116 entre o trevo que dá acesso à cidade de Pereiro e o triângulo de Lavras da Mangabeira está esburacado e exige atenção dos motoristas. Em muitos pontos, os motoristas necessitam trafegar em ziguezague ou na contramão para desviar dos buracos abertos na rodovia.

Em decorrência das chuvas fortes caídas nos últimos dias e do tráfego intenso de veículos pesados, o asfalto soltou-se e os buracos ficaram mais profundos, provocando riscos de acidentes. Operários já trabalham na operação tapa-buraco, mas o serviço agora que está iniciando e deve se estender por mais dois meses, período de chuvas no Ceará, o que causa temor entre os motoristas e passageiros.

Fonte: Diário do Nordeste - CE

 Certificações