OrigemNews

ÁreaRestrita



Auditorias


NewsLetter

Minas Gerais tem ao menos 7.000 km de estradas sem asfalto

01/12/2010

As rodovias federais e estaduais que cortam Minas Gerais têm 7.224 km de estradas sem asfalto atualmente. O número corresponde a quase 27% da malha rodoviária que corta o Estado, que é de 26.951 km ao todo. A soma de estradas sem pavimento é maior que o trajeto que separa Belo Horizonte e Vitória, no Espírito Santo.

Para deixar toda a malha federal que corta o Estado pavimentada, seria necessário R$ 1,1 bilhão. No número de estradas de terra, 617 km são de rodovias federais, e os demais das estaduais.

O custo para asfaltar cada quilômetro de estrada federal é de, em média, R$ 1,8 milhão, segundo o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). Atualmente, os contratos vigentes no Estado para pavimentação das BRs não chegam à metade do necessário. Juntos, os valores integrais dos projetos são de R$ 500 milhões. O restante dos recursos não tem prazo para ser liberado.

O montante para asfaltar as MGs, no entanto, não pode ser calculado, já que o Governo do Estado não informa os valores gastos em cada quilômetro. A justificativa é de que cada rodovia pavimentada tem um custo, dependendo das características da estrada e da região, entre outros fatores. Os valores são definidos a partir do projeto de engenharia.

Entre os piores trechos sem pavimentação no Estado estão importantes rodovias, como a BR-356, entre Muriaé e Ervália (54 km), na zona da Mata; a BR-367, entre Almenara e Salto da Divisa (102,9 km), no Vale do Jequitinhonha; e a BR-352, entre Patos de Minas e Coromandel (99,3 km), no Alto Paranaíba.

Para piorar, a temporada de chuvas tem transformado em lama o que era poeira, e em cratera o que era buraco. Na BR-352, caminhões ficam atolados e viagens são interrompidas. De acordo com o Dnit, a manutenção da rodovia foi delegada ao DER (Departamento de Estradas de Rodagem).

Não há projeto de licitação para a contratação das obras. Procurado, o DER afirmou que realiza rotineiramente serviços emergenciais de recuperação do trecho, com patrulhamento, escoamento das águas das chuvas e colocação de cascalho nos pontos críticos.

Fonte: R7

 Certificações