OrigemNews

ÁreaRestrita



Auditorias


NewsLetter

Custo logístico sobe para 11,9% do PIB

01/09/2016

O custo logístico brasileiro passou a representar 11,9% do PIB nacional em 2015, mantendo uma tendência crescente que vem desde 2010 quando era de apenas 10,6%.

A conclusão faz parte do estudo “Custos Logísticos no Brasil”, de Maurício Lima e Alexandre Lobo, do ILOS – Instituto de Logística e Supply Chain, publicado na revista Tecnologística.

Para um PIB de R$ 5,903 bilhões, este percentual representa um custo de R$ 702,6 bilhões.

Segundo os técnicos, os altos juros e o forte desbalanceamento da balança de transporte continuam sendo os responsáveis diretos pela grande diferença do percentual em relação aos Estados Unidos, onde esta relação caiu de 8,3% para apenas 7,7%.

Além do crescimento de 2,4% do PIB americano, a redução dos custos logísticos nos Estados Unidos foi influenciada também pela queda do preço do barril do petróleo no mercado internacional, repassada lá aos preços dos combustíveis.

A diferença, de 4,2% do PIB representa um custo adicional para o país de R$ 248 bilhões. De acordo com o estudo, os altos juros e o forte desbalanceamento da matriz de transportes continuam sendo os responsáveis diretos por esta grande diferença de custos.

O percentual do custo de transporte em relação ao PIB manteve-se em 6,8% (R$ 401,4 bilhões) em relação a 2014, a maior parte constituída pelo transporte rodoviário de cargas.

Este equilíbrio deve-se, segundos os autores, ao equilíbrio de fatores que agem no sentido de aumento, como a queda do PIB, e os que agem em sentido contrário, como a queda da demanda de transporte e a pequena melhora na matriz de transportes.
 
Já a variação do valor do frete não provocou impacto nesta relação, pois, quando muito, acompanhou os índices de inflação, embora os custos tenham subido em índices superiores aos da inflação.

O maior aumento dos custos logísticos ocorreu nos custos de estoques, devido à elevação da taxa básica de juros, de 11,25% para 15,25% ao ano, ao longo de 2015.

Fonte: NTC&Logística

 Certificações