OrigemNews

ÁreaRestrita



Auditorias


NewsLetter

Quadrilhas mudam foco e cargas menores são mais visadas na região de Campinas

12/07/2016

Quadrilhas especializadas em roubo de cargas mudaram o foco nas rodovias que cortam Campinas (SP) nos últimos meses, segundo dados oficiais da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Os assaltantes estão atacando caminhões com cargas menores e com menos segurança.

O delegado Ronei Barbosa Lima, da Delegacia de Insvestigações Gerais (DIG), afirma que as ações se tornaram mais comuns com cargas menores, já que as grandes empresas e transportadoras têm investido em novas formas de coibir essas situações, com maior segurança.

“Nós temos percebido alguns roubos de cargas de bebidas, então os criminosos roubam essas cargas e levam para mercadinhos e pequenas mercearias e as vendem com facilidade”, explica o delegado.

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP), o número de casos desse tipo de roubo aumentou 17,5% nos cinco primeiros meses deste ano em comparação com o mesmo período de 2015. No ano anterior, foram registrados 91 casos, contra 107 deste. De todos os meses, março foi o de maior registro, com 35 notificações.

Assalto

Nesta quinta-feira (7), assaltantes tentaram levar cargas de bicicleta e eletrônicos de dois caminhões, em Campinas. A ação teve início na Rodovia Adalberto Panzan (SP-102), onde os assaltantes renderam os motoristas de duas carretas.

Uma delas foi encontrada abandonada no acostamento. A outra estava na Rodovia dos Bandeirantes (SP-348).

Quando os policiais chegaram, dois suspeitos estavam tentando desinstalar o equipamento que pode rastrear o veículo, mas eles fugiram pela linha do trem. Foram encontrados também celulares e ferramentas.

Investigação


Em nota, a SSP disse que a Polícia Civil de Campinas está empenhada no combate aos roubos de carga e que está desenvolvendo, por meio do trabalho de inteligência policial, investigações para identificar quadrilhas e autores que praticam esses crimes.

Segundo o tenente da Polícia Rodoviária, Ademir Tomaz, o mapeamento está sendo controlado. “Estamos mapeando os pontos principais e temos conseguido com a intensificação do patrulhamento reduzir”, afirma.

Além disso, a pasta informou que vem desenvolvendo medidas para combater os roubos de carga no estado com a implantação de um sistema de georreferenciamento das áreas em que ocorrem esses crimes, locais onde as cargas são recuperadas e banco digital de imagens de presos envolvidos.

Chip

No final do ano passado, um instituto de tecnologia avançada de Campinas desenvolveu um chip que promete combater fraudes e roubo de carga. O dispositivo, que já está no mercado, funciona como um “DNA” eletrônico do produto e faz o rastreamento das mercadorias transportadas.

A tecnologia foi desenvolvida no Instituto Wernher Von Braun após sete anos de pesquisa e um custo de R$ 50 milhões. O equipamento é feito de grão de areia, tem 1 milímetro quadrado e a largura de um fio de cabelo. Ele funciona por radiofrequência e tem programação criptografada, que gera em tempo real a localização do produto, desde as etapas de produção até a entrega ao consumidor.

Fonte: G1

 Certificações