OrigemNews

ÁreaRestrita



Auditorias


NewsLetter

04/11/2014

Quatro meses após o Rodoanel Leste ter sido inaugurado, a rodovia continua incompleta. O trecho final de 5,8 km, que ligará as rodovias Ayrton Senna e Presidente Dutra, ainda não foi finalizado, o que significa um atraso em relação à previsão inicial de entrega.
 
O trecho Leste foi inaugurado em 3 de julho, em evento que contou com a presença do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Na época, a Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) previu que entre setembro e outubro o pedaço restante da rodovia seria inaugurado - o que não aconteceu.
 
De acordo com a SPMAR, concessionária que administra os trechos Leste e Sul do Rodoanel e responsável pela construção do trecho Leste, a obra está quase finalizada. "No momento já estão concluídos mais de 90% da movimentação de terra, estando com boa parte dos pavimentos em execução e os serviços de drenagem, nos cortes e taludes, estão quase finalizados", informou a empresa, em nota.
 
O trecho que ainda está em obras corresponde a 13% da extensão do Rodoanel Leste, que terá 43,5 km no total. A SPMAR não informou prazo para que o restante da rodovia fique pronto.
 
Acessos
 
Na manhã da última quinta-feira (30), foi liberada ao tráfego a alça que liga a Rodovia Henrique Eróles (S-P066) com a pista do Trecho Leste do Rodoanel no sentido da Rodovia Ayrton Senna. A expectativa é que passem por esta alça cerca de 4 mil veículos por dia.
 
Já a alça, que ligará a SP-066 com a pista do Trecho Leste do Rodoanel no sentido do trecho Sul do Rodoanel está em fase final construção, de acordo com a SPMAR. Segundo a concessionários a previsão de término é "para as próximas semanas", com expectativa de fluxo de mais 3 mil veículos/dia.
 
Balanço
 
O trecho Leste do Rodoanel começa em Mauá (onde acaba o trecho Sul) e passa por Ribeirão Pires, Suzano, Poá, Itaquaquecetuba e Arujá. Nos quatro meses de funcionamento, mais de 1,2 milhões de veículos passaram pela via.
 
De acordo com a SPMAR, cerca de 21% dos telefones de emergência estão sem funcionar, devido a atos de vandalismo, como furto de cabos. O caso mais recente aconteceu na última quinta-feira (30), no km 121.
 
O pedágio - que ainda não tem preço definido -, não tem data para começar a ser cobrado.

Fonte: Repóter Diário

 Certificações