OrigemNews

ÁreaRestrita



Auditorias


NewsLetter

09/10/2014

Os limites de velocidade da rodovia Raposo Tavares (SP-270) estão em processo de reavaliação por parte da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). O estudo, sem data para ser concluído, tem o objetivo de melhorar a segurança de quem trafega pelo trecho urbano de Sorocaba.

O processo de mudança é visível por quem passa pela rodovia. Algumas sinalizações verticais estão encobertas por um adesivo branco e escondem o limite de velocidade anteriormente definido.

O que mais chama a atenção é a variação do limite de velocidade imposta na rodovia. Em um trecho de 15 quilômetros, as placas registram cinco mudanças consecutivas: começa com 80 km/h, depois 110 km/h, passa para 90 km/h e retorna a 110 km/h e finalmente a 90 km/h. As alterações ocorrem entre os quilômetros 108 e 93, na pista no sentido São Paulo, no trecho urbano de Sorocaba.

Os diversos limites de velocidade têm confundido o motorista Luís Carlos, que trafega com frequência pela Raposo Tavares. "Chega uma hora que não sei mais qual é a velocidade permitida", conta.

Segundo a Artesp, diversos fatores são levados em consideração nesse tipo de análise. Entre eles estão a quantidade de faixas de rolamento da rodovia, a topografia, a geometria, o traçado das curvas verticais e horizontais do trecho e a presença ou não de ocupação urbana. "Isso significa que pode haver diferentes limites de velocidade em vários e próximos trechos de uma rodovia", relata, por meio de nota, a Agência.

A Artesp ressaltou que, em todos os casos, a segurança viária é o principal objetivo para determinar os limites de velocidade. "O limite no determinado trecho passa a valer a partir do ponto onde a placa está localizada."

Atualmente, a rodovia Raposo Tavares passa por obras entre os quilômetros 92 e 106. O trecho está em processo de drenagem, terraplanagem e colocação do pavimento, em ambos os sentidos.

O projeto é de responsabilidade da ViaOeste e foi viabilizado pelo Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo com verba proveniente do pedágio, sob supervisão da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). Segundo a concessionária, a obra está orçada em R$ 35 milhões e sua conclusão está prevista para o início de 2015.

Fonte: Cruzeiro do Sul

 Certificações