OrigemNews

ÁreaRestrita



Auditorias


NewsLetter

Roubos de carga aumentam 20% no ABC

24/06/2014

O número de roubos de cargas registrados na região do ABC aumentou 19,56% na comparação dos primeiros quatro meses de 2014 com o mesmo período do ano passado. Foram 165 casos neste ano contra 138 em 2013. Com exceção de Mauá e São Caetano, todas as cidades apresentaram aumento nessa modalidade de crime, com destaque para Santo André, onde ocorreram 40 roubos de carga neste ano, contra 22 em 2013, alta de 81,8%. Os dados fazem parte das estatísticas criminais divulgadas mensalmente pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado de São Paulo.

Para o consultor em segurança e ex-secretário nacional de segurança, José Vicente da Silva Filho, o aumento é muito significativo e pode indicar falhas por parte da Polícia Civil na condução das investigações. “É preciso afinar os instrumentos da investigação, porque nesses casos é feito levantamento minucioso do tipo de carga, do destino que normalmente têm. Tudo isso gera um banco de dados importante, com informações de quadrilhas identificadas”, explicou.

Silva Filho destacou, também, que recentemente inquéritos sobre roubos de carga identificaram participação de policiais civis e militares. “Houve casos de vítimas que precisaram pagar taxa para reaver a carga. Infelizmente, sempre que há atuação do crime organizado, não é raro o envolvimento de policiais”, completou.

O especialista frisou que é preciso combater o receptador. “Toda carga roubada, invariavelmente, tem um destino certo, alguém que fez a encomenda. Alguns períodos apresentam sazonalidades. No fim do ano o alvo são eletroportáteis, celulares, tablets. Cargas de alimentos também são bastante visadas, especialmente em épocas de entressafra de algum produto, como arroz, feijão. Chegar em quem compra esses produtos é fundamental”, concluiu.

Policiamento

Por meio de nota, o Comando da Polícia Militar no ABC informou que para combater os roubos de cargas, a corporação tem intensificado o policiamento de motocicletas (Rocam) nas principais vias e avenidas, bem como as áreas comerciais dos municípios, contando com a fiscalização das Bases Comunitárias Móveis e a pé, uma vez que somente 9,36% ocorrem nas rodovias que cortam a região.

Contudo, o apoio da Polícia Militar Rodoviária também se faz necessário nas rodovias, pois algumas das cargas podem ter esse destino. Segundo a nota, também por se tratar de um crime onde há o emprego de arma de fogo e atuação em muitos casos de quadrilhas especializadas, as Forças Táticas estão presentes, intensificando, ainda, essas áreas de interesse para a segurança pública. O representante do Sindicato das Empresas de Transporte de Carga do ABC (Setrans) não foi localizado.

Fonte: Diário Regional

 Certificações