OrigemNews

ÁreaRestrita



Auditorias


NewsLetter

Suspeitos de matar vigilante podem ter esquema de roubo de armas

26/09/2013

A Polícia Civil de Uberlândia elucidou o latrocínio que vitimou o vigilante Agnaldo Leonel Claro, 41 anos, na noite do dia 10 de setembro, na Asufub, km 78 da BR-050. Um autor foi preso no dia do crime. Moacir Neres de Oliveira, 32 anos, foi apresentado à imprensa nesta quarta-feira (25) juntamente com o segundo suspeito preso, Tiago Cristiano de Oliveira. Um terceiro envolvido está foragido – Diego Barcelos Gomes.

O crime ocorreu por volta de 21h. Dois homens invadiram o clube da Universidade Federal de Uberlândia, para roubar a arma de fogo do vigilante, e acabaram ferindo com três tiros a vítima, que morreu dois dias depois. Mesmo ferido, Agnaldo reagiu, baleando um dos assaltantes, Moacir Neres de Almeida, que foi preso no mesmo dia após atendimento médico.

De acordo com o delegado de homicídios Bernardo Pena Salles, interrogados, ambos confessaram o crime e estão presos no Presídio Prof. Jacy de Assis, onde aguardam por julgamento.

“Nos chamou atenção na investigação o número de boletins de ocorrência registrados em Uberlândia que davam conta de roubos de armas de fogo pertencentes a empresas de segurança privada. Neste sentido intensificamos as investigações e chegamos à conclusão de que existe uma rede criminosa atuando em Uberlândia com participação de vigilantes de segurança privada que estão se aliando àquelas pessoas que portam essas armas, as desviam e revendem para o mercado negro. Existe aproximadamente 20 armas supostamente roubadas em Uberlândia e região.”

Ainda segundo o delegado, Moacir e Tiago também são vigilantes e praticaram o crime com o intuito de roubar a arma, para com ela praticar crimes. Ambos trabalham em empresas de vigilância da cidade e planejaram o assalto. A arma utilizada para matar a vítima foi encontrada num matagal perto da casa de Tiago, no bairro Jardim Aurora.


Fonte: Uipi

 Certificações